Loading...

Blog

O efeito da crise nos salários dos setores público e privado

Em recente reportagem, a Folha de São Paulo mostrou o crescimento da diferença entre os salários dos funcionários dos setores público e privado.

Com o objetivo de complementar a análise, este post documenta quem ganha mais, quem ganhou mais no período e como o nível de escolaridade leva a ganhos maiores no setor público.

O primeiro gráfico abaixo “Remuneração média no ano”, elaborado com base na RAIS 2005, 2010 e 2015, apresenta a remuneração média anual dos trabalhadores dos setores público e privado.

A partir desses dados é possível constatar que tanto os trabalhadores regidos pela CLT quanto os funcionários públicos tiveram ganhos reais na remuneração média entre 2005 e 2015. Entretanto, os ganhos salariais apresentados pelos funcionários do setor público são bem maiores, mesmo nos anos de crise econômica e fiscal.

O segundo gráfico “Remuneração média no ano por nível de escolaridade”, elaborado também com base na RAIS 2005, 2010 e 2015, mostra como o ganho se deu por níveis diferentes de escolaridade.

Separando por nível de escolaridade (captando o efeito diploma) verifica-se que, para toda a população empregada, o prêmio por ter nível superior ainda é muito alto em relação a ter somente o ensino fundamental e médio. Nos níveis mais baixos de escolaridade (Ensino Fundamental e Médio), funcionários públicos recebem mais que celetistas nos três momentos analisados.

Além disso, um funcionário público de ensino fundamental recebe mais que um trabalhador celetista com ensino médio nos três períodos. Também se observa que funcionários públicos com formação de Ensino Superior ou Pós-Graduação recebiam menos que celetistas com o mesmo nível de escolaridade até 2010, mas em 2015 passam a receber mais.

Dessa forma, podemos concluir que os funcionários públicos tiveram ganhos maiores que os celetistas em todos os níveis de ensino, entretanto, o ganho para os trabalhadores com Graduação ou Pós-Graduação foi muito maior, passando o salário médio do trabalhador celetista de mesma escolaridade.

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique bem informado

Receba novidades do IDados no seu e-mail.